Alimentar-se bem e praticar atividades físicas são recomendações para que o vestibulando ou participante do Enem consiga aguentar, com saúde, a maratona de estudos. Mas, e o lado mental, como fica?

O vestibular e o Enem por si só geram uma pressão enorme ao adolescente devido ao volume de conteúdos e à alta competitividade.

Além disso, o jovem lida com pressão dos pais e da sociedade e demais conflitos nesse momento decisivo da escolha da carreira.

Por tudo isso, conforme explica a psicóloga Ana Cláudia Almeida, especialista no atendimento a vestibulandos, na adolescência o estudante pode apresentar os sinais e os sintomas abaixo:

  • Sentir ansiedade, agitação, estresse e falta de confiança;
  • Ter pensamentos de depreciação por si mesmo;
  • Não absorver os conteúdos;
  • Usar métodos ineficazes de estudo;
  • Ter apagões na hora da prova;
  • Sentir dificuldade em interpretar as questões;
  • Não conseguir lidar com o tempo.

Para Ana Cláudia, esses sintomas comumente culminam em um “ciclo de frustrações” que pode prejudicar diretamente os resultados na escola ou no cursinho pré-vestibular.

Como a psicologia ajuda estudantes?

Tratamento importante e que pode fazer diferença na preparação dos jovens para vestibulares e Enem, a terapia os ajuda a terem equilíbrio emocional, trabalhar a autoestima e evitar que o estresse e a ansiedade prejudiquem o desempenho nos estudos.

Segundo a psicóloga Jaqueline da Silva, que também auxilia vestibulandos, a psicoterapia pode amenizar a pressão para que a vivência do vestibular não seja traumática, pois, por meio do autoconhecimento, o estudante desenvolve habilidades que podem auxiliá-lo no manejo dos seus próprios conflitos.

Ao colocar seus sentimentos para fora, conversando com o profissional da área de Psicologia, o estudante pode organizar melhor as suas ideias e os seus pensamentos, deixando o cérebro organizado para assimilar melhor os estudos.

Além disso, fazer tratamento com psicólogos pode ajudar o aluno a evitar ou a lidar com situações de muita ansiedade, medos e fobias, Síndrome do Pânico, entre outras.

Por fim, o autoconhecimento adquirido nas sessões de terapia pode ajudar o estudante a escolher qual área de conhecimento tem preferência (exatas, humanas, biológicas ou artes) e qual profissão pode ser mais adequada para ele.

Confira algumas vantagens de fazer psicoterapia em época de vestibulares e Enem:

  • Ajuda a ter equilíbrio emocional;
  • Trabalha o autoconhecimento;
  • Auxilia a manejar os próprios conflitos;
  • Organiza melhor as ideias;
  • Ajuda a lidar com situações de ansiedade e estresse.

Equilíbrio

Cuidar da saúde física e mental na fase de estudos é essencial, mas, conforme avaliam as psicólogas, o ideal, para o adolescente, é ter equilíbrio e saber como administrar todos os pilares da vida.

Jaqueline acredita que, para evitar que a rotina de estudos se torne pesada, é necessário ter um tempo para que o aluno possa desligar um pouco, ter o seu momento, fazer o que lhe dá prazer.

Para a psicóloga, equilibrar-se entre os estudos, a alimentação e o social consequentemente conduzirá o vestibulando a ter uma vida emocional mais saudável.

 

Fonte: Silva Tancredi  – Uol Educação